5 dicas pra amansar a “ferinha” que você tem em casa

Acalmar a fera

No começo eu achava que eram cólicas, depois os dentes, depois birra, mas tudo passou e finalmente descobri que tinha uma criança com uma personalidade forte. Confesso que nem de longe imaginei que teria uma filha assim. Eu não sou assim, sou flexível, estou aprendendo agora a dizer não para as pessoas, sou muito de boa! Mas minha filha é exatamente ao contrário.

Eu passei por muitas fases: achava que precisava ser mais firme, depois achei que estava me dedicando pouco a ela, depois achei que não aguentaria! Rsrs Finalmente, um tempo mais tarde eu aceitei ela do jeitinho que era.

Nesse longo caminho de 4 anos depois de tentar muitas coisas, hoje eu sei como domar a ferinha e principalmente acalmá-la quando necessário. Acho incrível porque quando ela estava chorando diante de uma situação em que ela não sabia controlar suas emoçōes eu sempre explicava: “Filha, você esta chorando porque esta cansada!” E hoje ela já consegue identificar quando não consegue controlar as emoções. Ela pede: “Mamãe, me ajuda a me acalmar!”

Aqui vão algumas dicas praticas que me ajudaram e podem ajudar você também:

1 – Identifique o motivo do choro ou da birra e deixe claro pro seu filho;                             

Na maioria das vezes, a criança não está chorando por um brinquedo, mas na verdade sente fome. Ou sono. “Estar cansado e com fome são os dois maiores gatilhos para birra” Segundo Ray Lewy, psicóloga clínica (autora do livro Try and Make Me! Simple Strategies That Turn Off the Tantrums and Create Cooperation)

2 – Peça para que ele respire fundo, pegue-o no colo ou se coloque no mesmo nível do olhar;

Você tem que ser o autocontrole do seu filho, o porto seguro nesses momentos, se você gritar, sair batendo os pés ou as mãos vai ser pior. 

3 – Pergunte o porque ele está chorando e fale calmamente com a criança;

Não deixe que ele perceba que o descontrole emocional dele afetou você. Eu costumava me previnir em certas situações pra que não ficasse nervosa. Por exemplo, se eu ficasse tempo demais no parquinho e minha filha cansasse demais, ela faria um escândalo pra tomar banho. Nessas situações, eu já ia pra casa pensando: hoje ela vai chorar, vou manter a calma!

4 – Tire o foco do problema;

Invente uma atividade: peca pra ele ajudar a procurar pedrinhas se estiver ao ar livre, ou corra ate a janela e chame-o pra ver o céu (o céu tem propriedades calmantes), cante uma musica que ele goste, são exemplos de atividades para tirar o foco da crise.

5 – Faça-o descarregar fisicamente;

A criança quando fica nervosa, assim como nos sente tensão no corpo. Peca pra que seu filho imagine poças de água (ou de lama kkk) e pule dentro da poça, peça pra ele imaginar que esta mastigando chicletes com a boca aberta ou ainda nadando batendo bem forte os braços em um mar cheio de ondas, desafie-o a correr com um pé só, faça um alongamento ou ate uma massagem relaxante.

Espero que tenham gostado e me contem como agem com as ferinhas em casa!

Anúncios

Desabafo de uma quase sempre gordinha

Post1

Sempre lutei com a balança! Desde pequena era mais cheinha do que as crianças da minha idade. Na adolescência tentei várias dietas: 1.200 kcal, Chá de Giló, Dukan, Orlistat, etc. Mas não conseguia ter bons resultados. Você pode estar me perguntando: Você nunca foi magra? Digo que fui e foi maravilhoso! Apesar de as pessoas me falarem que estava magra (sim eu vesti uma calça 36) eu não conseguia me ver totalmente dessa maneira, pois não é da noite pro dia que você consegue mudar uma autoimagem mental construída por um período de 20 anos.

Enquanto fazia faculdade eu praticava atividade física diariamente (com sol ou chuva) e fiz a tão aclamada reeducação alimentar. No começo passei fome, mas depois de um tempo comia normalmente e como meu metabolismo já estava acelerado com a atividade física, não precisava me preocupar muito! Em 2 anos perdi 15 quilos.

Casei e na rotina com trabalho de professora e casa, ao longo de 5 anos ganhei os 15 quilinhos que haviam sido deixados na faculdade. Eles voltaram pra mim! Engravidei e engordei muito! Consegui perder alguns quilos aqui e ali, mas quando subo na balança, lá vem ele me assombrar novamente: o meu peso!

Tive que esperar minha filha estar um pouco mais crescidinha e isto demorou 2 anos desde que ela nasceu. Em setembro comecei a realizar atividade física, estava super empolgada! Yhuull Meu sono estava melhor, super bem humorada, sem dores nas costas (eu sofro muito com isso). Essa emoção toda durou apenas 15 dias. Na semana passada minha filha ficou doente e nessa semana eu fiquei tão doente que não conseguia levantar da cama.

Estou escrevendo isso porque não sei qual é a sua situação. Se você vive na luta como eu, sabe que muitas vezes não há o que ser feito! Todo esse tempo eu queria muito retornar às minhas atividades físicas, mas só Deus sabe o quanto é pesado ser uma dona de casa e uma mãe que ama muito e quer fazer sempre o melhor para o seu filho. Sei que tudo tem limites! O meu limite chegou depois de 2 anos. Ou eu voltava à ativa ou ia enlouquecer!!!

Se você não está satisfeita com a sua situação atual, assim como eu, vá à luta.

  1. Faça testes! Descubra como seu organismo funciona. Descobri que por ser pequena (1,54m) meu gasto metabólico é de 1.200 kcal, ou seja, dietas de 1.200 kcal não funcionam pra mim. Já fui em endócrinos e um deles me falou: Você tem a doença da obesidade. Se você acha que as pessoas que comem e não engordam não são normais, você está errada! Você que não é normal! (muito duro no momento, chorei rios, mas essa é a realidade).
  2. Tenha um plano de ação. Ajuste a sua rotina para que praticar atividade física (tem que ser algo que gosta e não vai desanimar tão fácil, comece com metas possíveis de serem alcançadas) e cozinhar alimentos saudáveis seja prioridade. Eu sei o quanto é difícil, mas é a única maneira de começar.
  3. Não desista! Sim eu fiquei triste por começar empolgada e ficar doente depois de ter finalmente conseguido o meu horário para as atividades físicas. Mas não vou desistir. Talvez demore ainda. Mas essa vai ser minha luta pro resto da vida porque em meio a tantas batalhas, posso me deparar com a minha tão almejada vitória!

O que você acha sobre o assunto? Sempre foi magrinha? Nunca se preocupou? Já sente os muitos benefícios da atividade física? Quer me dar uma motivação? Escreva um comentário aqui!