Mamãe integral x Mamãe e Profissional

busyMOMonTHEgoMeu bebê esta com 4 meses e semana que vem volto ao trabalho!

Pra algumas mulheres esta frase é normal, pra outras só de pensar na possibilidade já ficam apreensivas. O assunto é polêmico. Talvez para as mulheres em geral nem tanto. Mas para o meio cristão do qual faço parte se você escolhe trabalhar, naturalmente estará deixando a educação do seu filho em segundo plano.

Eu não concordo com essa ideia. E aqui vou expor a opinião de uma pessoa que ja viveu as duas experiências: ser apenas mãe e ser mãe e profissional. Antes de tudo eu queria que refletisse comigo o quanto a vida adulta é cruel com as mulheres da minha geração.

Eu nasci em uma família simples, meu pai era agricultor e a minha mãe, apesar de querer estudar (ela é mto inteligente) não teve oportunidades. Sempre sonhou em fazer o melhor para os filhos e colocou em mim o sonho de ser uma profissional. Eu me lembro de quando ela nos vestia para irmos pra escola (minha irmã e eu), o discurso era o mesmo: Meninas, estudem e sejam alguém na vida. Não dependam do dinheiro de homem nenhum. (rsrs um pouco feminista até né? Mas só quem tem uma filha entende…)

Nós crescíamos e ela nos incentiva: Vocês podem perder tudo, mas se tiverem o estudo, o conhecimento, isso ninguém pode roubar de vocês! Durante a infância, pouco tive contato com bebês: cuidar de primos, vizinhos, etc., e por mais que fizesse o trabalho doméstico, o meu foco sempre era estudar.

Cresci. Estudei, fiz faculdade e me casei. Nessa ordem! Eu não sei você, mas eu me preparei para muitas coisas desde criança, mas nossa geração não foi preparada para ser mãe. Sabe, talvez o medo da gravidez precoce tenha afastado o foco da maternidade em nossa geração. Talvez nossas mães tiveram seus filhos cedo demais e não quiseram isso para as filhas. Entretanto, eu sempre quis ser mãe, apesar de não ter me preparado pra isso. Depois de casar, eu planejei que ficaria 4 anos sem ter filho e engravidei exatamente no aniversário de casamento de 4 anos (na primeira tentativa). Ok, agora eu seria mãe! Péra… o que é ser mãe? Fazia anos que não pegava um bebe no colo, trocar fralda, fazer dormir… ai minha nossa! Era um universo completamente desconhecido.

Mas busquei o conhecimento, li muitos livros, troquei experiências e fui percorrendo o caminho da maternidade com alegria. Porém, não tenho como negar que esse caminho requer a abnegação total do seu tempo, da sua liberdade, do seu dinheiro, do seu eu. E lá no fundo a gente começa a sentir falta da realização profissional, daquilo que fomos criadas para ser. E aí vira um grande conflito na cabeça das mulheres! E agora… vou ser mãe o que eu amo, ou serei mãe e profissional, pois me dediquei pra isso.

Eu sei que você deve estar pensando: crianças crescem e mães tem o resto da vida pra ser quem elas quiserem! De fato. Mas acredite, por mais que seja uma fase temporário, você nao pode negar o quão intensa ela é. E ai, temos que escolher (as mais privilegiadas podem… porque tem muita mulher que é mãe e pai e sustenta a casa) entre ser mãe integral ou ser mãe e profissional.

Depois de sofrer, pensar, refletir, sofrer e pensar mais um pouco. Descobri que ninguém tem o direito de colocar as mulheres em uma caixa e dizer: você será apenas mãe e você será profissional. Não! E citando Caetano: Cada um sabe a dor e a delicia de saber o que é. Por mais que você seja mãe também você não sabe exatamente o que a sua amiga passa e graças a Deus por sermos tão diferentes. E por termos nossos limites. Admiro quem escolhe ficar com os filhos e ama tanto que pretende fazer homeschool, mas admiro também quem sai e trabalha duro e ainda tem disposição pra amar e passar tempo juntos.

O maior problema desse sofrimento todo é a culpa. Não tem como você esta em 2 lugares ao mesmo tempo (comprovação científica) e ficar em casa acarreta em ter menos recursos financeiros. Por outro lado, essa não é a preocupação de quem trabalha fora, mas sim a quantidade e a qualidade do tempo com as crianças. Em ambas escolhas você terá perdas e ganhos. Então, não se culpe. Escolha! Mas quando escolher viva feliz com a sua escolha. Não fique se desculpando pra ninguém. Você e única e decidiu o melhor para sua família e para você. Sendo mamãe integral ou mamãe e profissional você ainda assim é mamãe, e não apenas isso, uma super mãe.

Dicas de trabalho para mães AQUI.

Anúncios

4 anos de festa!

IMG_1774Ainda lembro de quando eu era as suas mãos, suas pernas e a única e mais completa fonte de alimento pra você. Lembro-me de quando você cabia aconchegadamente em meus braços e um único sorriso seu trazia luz pra minha vida. Você era pra mim a bebê mais linda, mais esperta, mais amada.
Quando eu a tinha tão dependente de mim e tão pertinho do meu coração, eu desejava saber como você seria, que gostos teria, como seria a sua voz, o que a faria feliz. Não via a hora você crescer para que eu pudesse te conhecer e finalmente receber o seu amor. E o meu maior sonho era segurar a sua mão e sair passeando desfrutando a sua doce companhia.
O tempo passou muito mais rápido do que eu previ. E você demonstrou o quanto me amava muito antes do que eu imaginei. Adquiriu habilidades, dentre muitas, a de se expressar. É criativa e ama conversar, papear e principalmente fazer festa!
Pra mim a festa acontece todos os dias. Todos os dias que eu me ajoelho e agradece a Deus por Ele ter me dado você, meu coração está em festa. Quando eu preparo a sua comidinha favorita, meu coração está em festa. Quando penso em te fazer feliz e ensinar as coisas dessa vida pra você, meu coração está em festa. Hoje a festa e de gratidão!
Amo você, boneca!
IMG_1929oo

Conhecer, aceitar e conviver com APLV

IMG_1888Depois de 50 dias da suspeita que o meu bebê possuía Alergia a Proteína ao Leite de Vaca, aqui estou! E quero contar tuuuudo o que aconteceu.

Os primeiros sintomas como ja havia mencionado foi sangue nas fezes. Porém desde o 1o mês ele chorava bastante e reclamava quando regurgitava. Fazia todas as mudanças posturais. Mamava na posição de cavaleiro, dormia com o colchão de berço a 45 graus. Ficava muito tempo no colo e mesmo assim a vontade que eu tinha era de pendura-la em um cabide! rsrsrs tadinho…

Quando fomos ao consultório médico a pediatra suspeitou de APLV e me pediu pra excluir o leite e derivados total da minha dieta, ja que ele mama exclusivamente o Leite Materno. Quando você se depara com essa situação, você pensa… nossa, que simples. Ele vai melhorar, só tenho que fazer a dieta certinho. Mas nao, ai que o problema começa!

Mas você deve estar pensando… Uau que modinha isso! Um monte de criança tem APLV hoje, será que nao é frescura?

Pois bem, vou te dar algumas causas associadas ao aumento da APLV.

  • Carga genética: filhos de pais que foram alérgicos tem 75% mais chance de desenvolver.
  • Higiene: hábitos de limpeza, as vacinas e os antibióticos tornam as pessoas menos expostas a infecções, acarretando alterações no sistema de defesa e aumentando as chances de desenvolver alergias.
  • Exposição precoce às proteínas do leite: Dar formula a bebes ainda na maternidade é mais comum do que você imagina. O RN não está preparado pra receber as proteínas do leite e seu organismo acaba defendendo-se da substancia nociva.

Voltemos a minha saga… consegui ficar a maior parte do tempo (40 dias sem consumir leite, fora alguns furos na dieta que foi sem querer e sempre que ingeria leite a reação era sangue nas fezes. Montei um cardápio seguro e comecei a perceber os alimentos que o incomodavam e davam cólicas. Cortei além do leite: soja, ovo, feijão, amendoim e avelã. Estava com muitas duvidas sobre o que era alergia e o que eram apenas gases normal de bebe. Fiquei com um pouco de medo de comer. Depois de alguns dias de teste, ele finalmente estabilizou (o coco estava normal e a quantidade tbm). Foi então que comecei a reintroduzir os alimentos, 1 em cada dia e percebi que ele tem um desconforto com esses alimentos, mas ele não reage a eles como alergia.

Ao voltar a pediatra, eu ja tinha certeza do diagnostico: APLV, mas estava bem mais tranquila. Hoje já estou acostumada com a dieta e descobri pesquisando coisas que eu nem imagina sobre alergia alimentar. O Anthony tem Colite Alérgica, que é um tipo de alergia que pertence ao grupo de hipersensibilidade alimentar não mediada por IgE também denominada protocolite induzida por alimentos, no caso dele o leite de vaca. Estima-se que fatores genéticos exerçam papel fundamental na expressão desta doença alérgica, e em nossa família temos a tia paterna teve alergia forte e eu tbm suspeito que eu tive, porém assim como o Anthony minha única reação foi o sangue presente nas fezes, nao sabiam o que era, mas passou.

Acredito que muitos de nós tivemos alergia alimentar, porém com reações moderadas e tardias, IgE nao mediado e de caráter transitório, ou seja, passou. Atualmente ha estudos que comprovam tipos e níveis de alergia alimentar em crianças. 

O Anthony é um bebe saudável. Apesar do refluxo incomodar bastante nao foi motivo para que ele nao ganhasse peso e se desenvolvesse. Ele é bem esperto e muito grande! Agora vamos cuidar muito bem desse bebe e logo logo seu organismo nao vai mais reagir.

OBS: Obrigada as amigas que me ouviram e consolaram o meu choro no momento de desespero. Agradeço a Deus por pessoas especiais em minha vida!