Quando o acolhimento entre mães não acontece

iStock_000016472456Large

O parquinho é um lugar cheio de emoções para as mães. Um momento de paz para algumas e desespero para outras, é claro que também depende da fase da criança está.
De qualquer forma, o parquinho também é uma oportunidade de fazer amizades, acolher e ser acolhida.

Nesse percurso da maternidade todas já tivemos nossas lutas e quando temos uma oportunidade queremos o acolhimento de uma pessoa que entende o que estamos passando mais do que ninguém porque ela está no mesmo barco.

Nos parquinhos dessa vida eu já vivi momentos tão importantes. Tantas dúvidas em relação a educação de filhos foram sanadas e recebi palavras que acalmaram o meu coração garantindo que “aquela fase” ia passar. Foi lá também que eu dei muitas gargalhadas. Tive momentos relax em dias difíceis. Foi lá que muitas vezes eu falei de Deus e muitas vezes foi lá em meio a céu aberto que eu sentia a presença dEle. Mas também já vi e senti julgamentos, muitas críticas a filhos de outras mães e mães se exaltando dizendo que fizeram o certo e obterem o sucesso.

Hoje eu fui no parquinho. Estou tendo uma semana muito difícil. O Anthony tem acordado muito durante a noite, o intestino não está funcionando direito. Sai de casa sem rumo certo, porque minha cabeça estava cheia de ouvir reclamação por parte da Lalá que estava muito tempo em casa estava ouvindo o choro do bebe. Dei banho nela, porque com dois filhos, você dá banho na hora que dá. Aliás, você faz tudo na hora que dá. Não tem como programar muito. E saí. O meu destino era um pouco de paz, não importava onde fosse. Acabei chegando no parquinho do condomínio.

Sentei. A Lavinia foi feliz brincar com as crianças e eu segurei o bebe no colo e olhava pro céu tentando encontrar a paz almejada. Enquanto isso ouvi uma moça infeliz falando da minha filha. Ela dizia pro filho mais velho: Olha, como pode? A menina vem pro parquinho de banho tomado! O filho perguntou: Onde? Ela respondeu: Aquela com o cabelo molhado!

Pronto! foi a gota d`agua que faltava pra que eu ficasse muito chateada. Eu havia sido criticada por uma pessoa que vivia os mesmos desafios e dilemas que eu (ela era mãe de 2 gêmeas de 2a e 1 menino de 8) e isso doeu demais na hora. Eu fui falar com ela, não na tentativa de explicar, mas fiz questão de deixar claro o quanto o comentário irônico dela me fez mal. 

Criticar é fácil demais. Quero ver a amiga de verdade que vai oferecer ajuda pra ir na sua casa preparar uma refeição pra você ou estender as roupas da maquina (vou deixar bem claro que tenho amigas que são anjos e sempre me oferecem ajuda). Apelo aqui pra uma movimento entre nós: Mãezinhas de Deus, vamos acolher umas as outras. Vamos ser parceiras. Todas nós temos dificuldades. Talvez a sua dificuldade não seja igual a da sua vizinha, mas ofereça o seu apoio. Não critique e não aceite ser criticada. Não deixem que as palavras de ninguém a machuquem de tal forma que você leve a mágoa de volta pra casa. Eu falei tudo o que estava entalado na garganta e cheguei em casa em paz. Sim, eu consegui encontrar com ela no caminho de volta pra casa.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s